Archive for the 'conversa fiada' Category

Feliz ano velho…


Se eu demorasse mais um pouquinho para aparecer aqui, estaria desejando feliz 2014!

Desta vez, nem vou pedir desculpas pelo sumiço, porque se vocês soubessem o tanto de coisas que está acontecendo ao mesmo tempo comigo, ficariam surpresos por eu não ter encerrado o blog de vez.

Aliás, o motivo da minha demora foi exatamente este. A cada vez que eu ensaiava uma despedida, desistia de escrever e desligava o computador, esperando que as coisas se acalmassem e eu novamente encontrasse tempo para atualizar o blog como antes. Cheguei a ficar em dúvida se renovava o domínio! Mas acabei resolvendo seguir em frente, sem pressão. Quando der para escrever, eu virei aqui. Se não, acumulo para falar tudo quando for possível. Infelizmente não vejo outro jeito.

Não estou de férias, e as meninas sim. Meu tempo livre tem sido mínimo. Além da atenção que elas me demandam, estou organizando minhas metas anuais, que vão desde atualizar álbuns de fotografias do ano anterior, a resolver toda e qualquer pendência relativa à casa e sua manutenção. Outros projetos particulares também estão em jogo, coisas que ainda não chegou a hora de compartilhar aqui, mas que têm me tomado muito tempo e requerido muito da minha energia.

Minha rotina está muito diferente de 4 anos atrás, quando inaugurei o Feito a Mão. Minha jornada de trabalho aumentou 5 horas semanais. As crianças cresceram e se matricularam em aulas extra-curriculares, para as quais tenho desempenhado a função de mãetorista em três manhãs por semana. Sem falar que suas tarefas de casa estão ficando cada vez mais elaboradas e o tempo gasto com a supervisão dessa atividade só aumenta.

Como vocês já sabem, há dois anos, consegui reverter meu sedentarismo e passei a me mexer mais. Atualmente, são 4h por semana de atividade física, o que para mim é uma quantidade considerável. Em compensação, estou mais disposta, mais saudável e muito melhor comigo mesma.

Voltei a estudar inglês ano passado e semana que vem vou passar a frequentar aulas de francês também.  Projetos antigos que vinham sendo mantidos em segundo plano, a cada ano que passava. Coisas que me davam (e ainda dão)  muito prazer e que, por alguma razão inexplicável, eu não conseguia colocar em prática. Como é que uma criatura que coloca viagens em suas prioridades de vida se contentava com o beabá? Isso era uma coisa que me incomodava bastante: não poder conversar fluentemente com estrangeiros, em outra língua que não o espanhol. Mas comecei a mudar isso. Quem disse que papagaio velho não aprende a falar não conhecia minha motivação e teimosia.

Numa matemática superficial, somando também o tempo gasto com deslocamento e trânsito, minha semana encolheu  pelo menos 20 horas! Claro que muitas dessas horas  foram retiradas do tempo que eu gastava com o blog. Por isso, não esperem encontrar 3 posts semanais como antes.

Para ser bem sincera, vou tentar atualizar o blog semanalmente, mas se não der, não vou me cobrar demais. Tenho de aprender a abrir mão de vez em quando. Sou humana e preciso reservar um tempo para estudar, descansar e relaxar em família, ou vou pirar!

Desejo a cada um de vocês um ano pleno. Cheio de realizações! Que suas metas e sonhos saiam do papel. Mas lembrem-se: tudo tem seu preço e nos exige um belo esforço em contrapartida. Que saibamos eleger nossas prioridades, para evoluir como pessoas. Que possamos dar o devido destaque às atividades que nos dão prazer e que nos tornam seres mais interessantes, estimulados, realizados, enfim, mais felizes.

É sempre bom estar aqui, mesmo na correria. Espero que vocês me aceitem assim, em doses homeopáticas.

Um grande cheiro do tamanho da minha saudade,

Claudinha

 

___

Cenas dos próximos capítulos

Tenho muitas novidades para compartilhar por aqui.

*Andei preparando muitos fotolivros de viagens e festas de aniversários das crianças. Fotos que deixei acumular em quase 18 meses. Assim que o material chegar, mostrarei como ficou tudo. Aproveitei o embalo, e fiz agendas, calendários e cadernos escolares para as meninas.

*Na quarta feira passada, tivemos nosso segundo encontro da Confraria das Panelas, aqui em casa. Uma noite memorável, divertida e muito inspiradora. Vou agendar um post para segunda-feira sobre isso. Cozinhar tem sido uma válvula de escape nos meus momentos mais agitados. Cozinhar em boa companhia, trocando ideias e gargalhadas tem sido melhor ainda!

    posted by Feito a Mão in conversa fiada and have Comentários (45)

    Café com as amigas


    Eu amo meu trabalho, por isso não gosto de reclamar quando as coisas estão complicadas. Sou da opinião que só tem problemas de trabalho quem tem trabalho. Então, é dar graças a Deus por não estar desempregada, arregaçar as mangas e respirar fundo, que todo sufoco é passageiro.

    Só que tem horas que não consigo ser tão evoluída. Deixo-me contagiar pelo estresse, fico amuada, com enxaqueca, com insônia, bloqueada. Quando isso acontece, o melhor remédio é tentar descontrair nas poucas horas vagas que me restam.

    Desde que voltei do chá das flores, que a Katinha fez em sua casa, voltei diferente. Era perceptível a mudança. Estava mais leve, mais alegre, mais satisfeita. Naquela ocasião, uma pessoa a quem estimo me disse para registrar a sensação e não esquecê-la, quando a roda gigante da vida girasse. Sim, porque, na vida, uma das certezas que podemos ter é que se numa hora estamos por cima, na seguinte estaremos por baixo. É preciso não esquecer que nada é eterno.

    Eu tenho gostado muito de fazer pilates. Me encontrei fazendo isso. Até já fiz um post falando sobre os benefícios que percebi em minha vida depois que comecei a praticá-lo. Mas não é apenas o exercício que me faz bem.

    O grupo do Pilates, ou melhor, os grupos – já que faço em dois horários diferentes – são muito bons. A maioria das garotas eu já conhecia de outras épocas e locais.

    A Marlete, por exemplo, é casada com um primo meu. A Alice trabalha comigo. A Pollyana foi minha colega nos tempos de Crisma, na Igreja São Pedro, e fizemos faculdade juntas. A Simone também foi nossa contemporânea nos bancos de Direito da UFAL. A Andréia é mãe de uma coleguinha de escola da Clarinha e esposa de um colega de faculdade de Mário. A Cida é irmã de uma ex-colega de trabalho de Mário e a Daíse é a nossa instrutora querida.

    Não foi difícil me sentir à vontade e íntima em meio a um grupo tão seleto como este. Bem que dizem que Maceió é um ovo!

    Pois bem. Basta somar um mais um. Estava eu tão cansada com o excesso de trabalho e de responsabilidades, tão saudosa da experiência que tive no chá das flores que sugeri uma confraternização de final de ano com as amigas do Pilates.

    meninas
    Sentadas, da esquerda para a direita, Simone, Cida, Andréia e Marlete.
    Atrás, em pé, Alice, Pollyana e Daíse.

     

    eu e as meninas
    Agora, a mesma foto, comigo, sem Andréia

     

    Quer motivo melhor para reunir algumas amigas e fazer uma tarde de terapia de grupo? A ideia germinou rapidamente. Ofereci minha casa e dividimos o cardápio. Farei um post sobre os detalhes em seguida.

    Por enquanto, gostaria de compartilhar um texto magnífico que recebi por e-mail de uma amiga querida, tudo a ver com esse momento que estou vivendo. Não sei se a autoria está corretamente creditada, nem se o conteúdo é autêntico, mas a mensagem é muito especial.

    CAFÉ COM AMIGAS
    Palestra de Chefe de Psiquiatria da Universidade Stanford

    *A Relação entre o Corpo e a Alma, Stress e Desconforto Físico *

    No final de uma palestra o palestrante apontou, entre outras coisas, que os estudos mostram que uma das melhores coisas que um homem pode fazer por sua saúde é se casar com uma mulher. O casamento aumenta a longevidade e o bem-estar pessoal do homem.

    E sobre a mulher? O palestrante apontou dado surpreendente – a mulher, por sua saúde, precisa cultivar seus relacionamentos com suas amigas!

    No início, essa declaração provocou risos na plateia, mas o professor falou muito a sério. Estudos realizados mostram que as mulheres se conectam de maneira diferente dos homens e fornecem outros sistemas de apoio que as ajudam a lidar com experiências estressantes e difíceis em suas vidas. “Tempo de Amigas” é muito significativo no nível fisiológico, ajuda a produzir mais serotonina (um neurotransmissor) que auxilia no combate à depressão e cria um sentimento geral de bem-estar e um sentimento positivo.

    As mulheres tendem a compartilhar seus sentimentos, enquanto os homens geralmente se conectam em torno de tarefas. Eles raramente se sentam com um amigo falando sobre como se sentem sobre algo, ou como está sua vida pessoal. Trabalho? Sim! Esportes? Sim!, Carros? Sim! Mas os seus sentimentos? Apenas raramente. As mulheres fazem isso o tempo todo. Elas compartilham sentimentos e emoções das profundezas de suas almas com suas amigas, e parece que isso realmente contribui para a sua própria saúde.

    O conferencista acrescentou, sublinhando que o tempo gasto com amigas é tão importante para a saúde das mulheres como correr ou trabalhar no ginásio. De fato, há uma tendência a se pensar que é quando nos envolvemos com alguma atividade física que estamos fazendo algo de bom para o nosso corpo, enquanto que quando falamos com as nossas amigas, nós “desperdiçamos” o tempo em vez de fazer algo mais produtivo. Então, provavelmente, isso não é verdade.  Na verdade, o orador salientou que não criar e manter relacionamentos de qualidade com outras pessoas prejudica a nossa saúde física, “pelo menos, como o fumo!”

    Portanto, cada vez que nós (as mulheres, é claro) sentamos para conversar com uma amiga, é importante congratular-nos de que estamos fazendo algo benéfico para a nossa saúde. Na verdade, nós somos sortudas!

    Nossa amizade é muito essencial para nossa saúde!

    *Tim-Tim ao café com as minhas amigas!*

    DSC01181

    Uma ótimo final de semana a todos!

    Claudinha

      posted by Feito a Mão in conversa fiada,saúde and have Comentários (4)

      Biscoitinhos de chocolate com aveia para um chá muito especial


      Já estou de volta. Eu disse que seria uma viagem bem curtinha, não? Sabem aonde eu fui? Ao Rio de Janeiro! Mas dessa vez não fui fazer turismo, fui encontrar pessoas realmente maravilhosas, que conheci por intermédio do blog, e participar do Chá de Blogueiras da Katinha, do Casos e Coisas da Bonfa.

      Parece insano, eu sei, mas adorei ter feito uma estripulia como essa. Além do mais, fiquei hospedada na casa da própria Bonfa, que é a supremacia em pessoa em matéria de hospitalidade!  Foi um final de semana muito especial, esfuziante e inesquecível. Vou conservar com carinho as recordações desse dia – o dia em que conheci pessoas tão alegres, divertidas, alto astral e cuja ausência já estou lastimando. Vamos ter que marcar um reencontro em breve, quem sabe agora na Terra dos Marechais? Estou esperando vocês, meninas!

      Olhem só a minha cara de felicidade na foto da talentosa Flavia Mergulhão, do Ateliê da Caiê!

       chá de blogueiraDa esquerda para a direita: Flávia Mergulhão, do Ateliê da Caiê, Milena Orlando, Simone Scharamm, do Festa e etc, eu, Ana Paula Carneiro, do De Ana à Z, Katinha, Marta Riba, do Cantinho da Marta,  e Patrícia Haddad, do antes, Durante e Depois  (abaixada)

       

      O post completo sobre o chá vai ao ar na quarta-feira, no blog da Katinha. Mas vou adiantar uma palhinha para vocês, porque não consigo manter suspense por tanto tempo.

      Eu levei cupcakes de chocolate e biscoitos de chocolate com aveia. Como viajei de avião, deixei para fazer a ganache da cobertura dos bolinhos lá, para evitar acidentes. Acontece que na manhã do chá, faltou energia no bairro em que a Katia mora, por várias horas. A geladeira perdeu temperatura e a ganache não atingiu o ponto certo pra fazer aquela voltinha da cobertura. Mas isso não nos incomodou. Imprevistos acontecem. Apesar da aparência não ter ficado 100%, os bolinhos ficaram gostosos.

       cupcakeFoto Flávia Mergulhão

      Já os biscoitos de chocolate com aveia foram receita de uma amiga, a mesma que me ensinou a fazer aquele bolo de creme de leite dos deuses, lembram? Suas dicas são valiosas e eu sempre as reproduzo, na certeza de que o resultado será satisfatório.

      São bem fáceis de se fazer, rápidos e muito práticos. A textura da massa crua lembra a de um brigadeiro de enrolar: macia, sem ser pegajosa. O cheiro dos biscoitos assando é de enlouquecer.

      Agora, só não façam a besteira que eu fiz na primeira vez em que os assei: troquei o chocolate em pó por cacau e os biscoitinhos ficaram mais pesados, secos e duros. Repeti a receita umas 3 vezes depois, seguindo exatamente o modo de fazer e ficou excelente! De tão simples, é o tipo de receita que podemos fazer acompanhadas de nossos pequenos.

      Biscoitos de chocolate com aveia

      biscoito de chocolate cópia

      Ingredientes:

      2 xícaras de farinha de trigo
      1 xícara de aveia em flocos grandes
      1 xícara de chocolate em pó Nestlé
      1 manteiga em temperatura ambiente (200g)
      2 colheres (chá) rasas de fermento
      1 ovo
      ! xícara de açúcar cristal ou demerara, tanto faz (testei os dois)

       

      biscoitos de chocolate e aveia Minha ajudante mestre-cuca

       

      Misture bem (na batedeira ou a mão),  faça bolinhas e arrume-as numa assadeira retangular (sem untar), deixando espaço entre elas, pois os biscoitos crescem um pouco. Achate-as levemente, com um garfo.

      Leve ao forno baixo (220ºC) pré-aquecido, por aproximadamente 20-30 minutos, a depender do seu fogão. Depois é só esperar esfriar um pouco na assadeira e retirá-los com a espátula para terminarem de esfriar numa grade ou prato.

      Não fica muito doce, o que é um perigo, pois a gente vai comendo sem enjoar e quando viu, bye bye dieta!

      Os biscoitos ficaram deliciosos, mas a cara de prazer da foto abaixo deu-se por culpa do cheese cupcake de goiaba da Flavinha.

      delíciaFoto Flávia Mergulhão

      Lembram que ela enviou a receitinha para o nosso concurso?

      cheese cupcake de goiaba Foto Flávia Mergulhão

      Pois eu posso dizer que tive a honra de degustá-lo ao vivo e em cores! E ele é exatamente tão saboroso quanto eu imaginava; apetitoso, harmonioso, surpreendente! Se Flavinha não fizesse mais nada nesse mundo, sua contribuição para as gerações posteriores já estaria completa somente por causa dessa receita. Valeu até desobedecer à dieta sem lactose. Exagerada, eu? Experimente, para saber.

      Vou reproduzi-la em casa, em breve, sem dúvidas!

      Para lembrancinha, infelizmente, eu não tive tempo de executar nada, tanto por causa da proximidade da festinha da Mariana quanto pelos numerosos compromissos de trabalho. Como o chá tinha o tema flores, encomendei broches de rosas de cetim à Clarissa Quintella (Sassá).

      lembrancinha do chá de blogueirasFoto Flávia Mergulhão

      Espero que mesmo não tendo sido feito por mim, o mimo tenha agradado a todas, pois foi escolhido com muito carinho.

      Lembrancinha do cha de blogueira Foto Flávia Mergulhão

      Outra coisinha que eu queria mostrar são as lanternas de papel que eu levei para enfeitar a entrada do apartamento da Katinha. Eu as havia comprado na Luísa Festa e planejava usá-las na festinha da Mamá, mas não consegui pendurá-las ao ar livre, fazendo um móbile como pretendia. Acabei guardando a ideia para uma outra oportunidade, que chegou muito antes do esperado.

      lanternas de papel

      Ficou legal, né? Para complementar, colocamos as mesmas florezinhas de papel que Katinha tinha cortado para enfeitar a mesa da sala.

      Não percam o post da quarta-feira, no Casos e Coisas da Bonfa. A Katinha é muito melhor que eu para relatar detalhes de decoração.

      Katinha, minha anfitriã maravilhosa, muito obrigada por ter tornado possível esse momento, você sabe o quanto a admiro e estimo, não? Impressionante como amizades virtuais podem se tornar tão reais! Por coincidência faz exatamente um ano que nos encontramos aqui em casa. Parece que foi ontem!

      katinha

      katia BonfaFotos Flávia Mergulhão

       

      Minha ida ao Rio também rendeu outra desvirtualização de amizade. Conheci a Sílvia Azevedo, do Uma pitada de cada coisa. Ela me encontrou na casa da Katinha e almoçamos juntas num shopping das redondezas. Foi muito bom ter te conhecido, Silvinha! Adorei nosso encontro.

      DSC00914

      Agora, me digam se tem coisa melhor que “desperdiçar tempo” em boa companhia? Descontrair, conversar amenidades  e sentir que, apesar da da correria do dia a dia, ser feliz exige tão pouco de nós. De vez em quando, uma paradinha dessas nos faz refletir que a vida passa muito rápido pra ser levada tão sério.

      Um brinde às verdadeiras amizades, novas ou velhas!

      feliz Foto Flávia Mergulhão

      Só lembrando: a receita dos cupcakes de chocolate vocês encontram aqui. E a da ganache, aqui.

      Já programei o restante dos posts da festinha da Maricota, não se preocupem que não vou cair no esquecimento.

      Um cheiro e até quarta,

      Claudinha

        posted by Feito a Mão in conversa fiada,culinária,Feito a Mão na blogosfera and have Comentários (27)

        Orgulho da mamãe


        Ao ler a poesia que minha filha escreveu para um trabalho de escola, concluo que nossa postura ao longo desses dez anos de sua vida deve estar sendo correta. Vocês não imaginam o quanto isso me dá um certo alívio: ver que ela está crescendo, não apenas por fora, e que está encarando o mundo de acordo com os princípios que temos lhe transmitido.

        Impossível não me orgulhar e me emocionar ao ler o texto abaixo. Mais impossível ainda é não sentir um imenso desejo de compartilhá-lo com o mundo todo.  Imagem (17)

        Igualdade entre todos

        (Mª Clara Ramalho)

        Seja moreno, seja branco, seja amarelo ou até azul,

        Tenha olho puxado, tenha olho gordo ou até zarolho,

        Somos todos iguais.

         

        Seja rico ou pobre,

        Seja evangélico, católico, budista ou até ateu,

        Somos todos iguais.

         

        Fale inglês, japonês, português, croata ou até dinamarquês…

        Seja pequeno, médio, grande ou até do tamanho do Empire State,

        Somos todos iguais.

         

        Seja loiro, moreno, careca ou cabeludo, tenha até cabelo roxo!

        Seja homem ou mulher,

        Somos todos iguais.

         

        O que importa é ser amado.

        O que importa é ser aceito.

        Somos todos iguais por dentro.

        Então, diga não ao preconceito.

         

        ___

        Notaram a moça de burca no desenho? Fala se não é para ficar orgulhosa de uma coisa dessas?

        ___

        Gente, hoje estou embarcando numa pequena viagem: vou ali confraternizar com pessoas queridas e participar de um evento muito especial e volto já . Conto tudo depois, pra não estragar a surpresa.

        Tenho ainda muita coisa pra escrever e postar sobre a festinha da Mariana e sobre umas receitinhas maravilhosas que andei testando. Além das experiências da nossa Confraria das Panelas, que finalmente saiu do mundo dos planos!

        Falta tempo para organizar tudo isso. Tem acontecido tanta coisa nova em minha vida e tudo ao mesmo tempo! O bom é que dentro em breve essa agitação toda estará repercutindo aqui no blog, com posts cheinhos de novidades.

        Tenham todos um final de semana abençoado,

        Claudinha.

          posted by Feito a Mão in conversa fiada,papo de mãe and have Comentários (36)

          Das ideias geniais que me fazem questionar: por que eu nunca pensei nisso antes?


          Bolo simples congelado em porções individuais

          bolo congelado

          Aqui em casa, eu já disse para vocês, todos gostamos de bolo no dia em que é feito. Com raríssimas exceções, no dia seguinte o bolo tende a ressecar. Para evitar desperdícios, eu costumava fazer metade da receita.

          Outro dia, conversando com uma amiga querida, a Josi, integrante da “Confraria das Panelas”, apelido que dei ao grupo que costuma se reunir para trocar receitas e planejar encontros gastronômicos (por enquanto só planejar, nunca concretizamos), aprendi uma dica valiosa: congelar o bolo nosso de cada dia! Sério, parece bobagem, mas eu nunca tinha feito isso.

          Claro que eu congelo alimentos, tenho um freezer cheio de lasanhas, pão de queijo, docinhos e bolos recheados sobras de festas, almôndegas, sopas, molhos, mas nunca cismei de congelar bolo simples. Não me perguntem o porquê.

          A Josi nem precisou gastar muita saliva pra me convencer, vejam só: o gás gasto para assar meia receita ou uma receita dupla é o mesmo. A quantidade de utensílios para lavar depois também. Fazer uma receita dupla, tripla, ou até quádrupla como eu fiz, é muito mais econômico e sustentável. O freezer já está ligado mesmo, consumindo sua energia diária. Não custa nada tirar proveito disso. O meio ambiente agradece.

          Na escola das meninas, há um cardápio que deve ser respeitado, aceitando-se variação apenas quanto à ordem dos itens: bolo, sanduíche, sucrilho, pipoca, fruta ou biscoito.

          Como aqui em casa geralmente eu faço bolo aos sábados, (meia receita, lembram?) nunca sobrava bolo fresco para levar na segunda-feira.

          Agora, a coisa está diferente. Dá até pra escolher o sabor.

          Fiz 2 receitas duplicadas de bolo de sabores diferentes. Parti os bolos em pedaços individuais e embalei em papel alumínio e filme plástico. Etiquetei e arrumei numa prateleira do freezer.

          Para servir, basta retirar o pacotinho com algumas horas de antecedência e deixá-lo voltar à temperatura ambiente naturalmente.

          A consistência, sabor e textura são de um bolo fresquinho, assado no dia.

          E tem mais uma vantagem: a gente não precisa comer o bolo todo num dia só, com medo de estragar. Acabou-se a desculpa esfarrapada pra escapulir da dieta. Dá pra comer um pedacinho por semana, sem culpa e sem exagero. Olha que maravilha! Pra quem mora sozinho é a reinvenção da roda, né não?

          Agora me digam, como eu, que me acho tão descolada e moooooooderna, nunca pensei nisso antes? rsrs Vivendo e aprendendo!

          Aceitam um pedacinho?

          bolo congelado2

           

          Iogurte caseiro quase sem lactose

          Outro dia, eu vi uma receitinha de iogurte caseiro e fiquei pensando em reproduzi-la, usando o leite 90% menos lactose. E não é que deu super certo?

          Agora tenho  iogurte natural para temperar saladas, molhos e rechear doces, sem ficar inchada ou passar mal depois.

          A receitinha é muito simples  e pode ser feita mesmo sem iogurteira. Não tirei foto do meu, pois nem me lembrei de fotografar tarde da noite.

          Ferva 400ml de leite, misture com 600ml de leite em temperatura ambiente. Acrescente 1 copo de iogurte natural industrializado (ou reserve 1 copo de iogurte caseiro, da sua produção anterior). Mexa para incorporar o iogurte ao leite e deixe descansar fechado num local abafado, por pelo menos 8 horas, para ativar a fermentação das bactérias do iogurte. Pode ser no forno do fogão, mesmo. Durante esse tempo não abra a vasilha por nada nesse mundo.

          No dia seguinte, mexa novamente e leve à geladeira. Se quiser, acrescente frutas e mel ou adoçante. Fica ótimo!

          Ghee – manteiga caseira clarificada e purificada (sem lactose)

          Fonte da foto: aqui

          Esse dica veio de outra integrante da Confraria das Panelas, a Martinha, cuja receita de moussaka eu já compartilhei com vocês. Ela teve oportunidade de conhecer a ghee num curso de ayurvédica, que fez em Recife.

          Ghee é uma manteiga clarificada e purificada que perde todos os seus resíduos lácteos durante o processo de purificação. Aqui tem um passo a passo bacana de como prepará-la em casa. Pra que chover no molhado, não é mesmo? Passem lá, se ficaram curiosos.

          Fiquei tão contente em saber que posso continuar comendo manteiga, mesmo com intolerância à lactose! E o gosto é excelente, eu aprovei! Agora vou voltar à minha fase de risotos, ah se vou!

          __

          E vocês, têm alguma dica fantástica do tipo que pode mudar nossa rotina e facilitar nossa vida de dona de casa?

          Um cheiro enorme,

          Claudinha

           

          PS: Estou mais enrolada que novelo de lã, nesta semana, Deus queira que chegue logo segunda-feira para eu ter um pouco de sossego e colocar minhas coisas em ordem. Se eu não responder aos recados logo, é culpa do trabalho! Vão desculpando.

            posted by Feito a Mão in conversa fiada,culinária,dicas de organização and have Comentários (34)